PARLAMENTO 2019 - Fernando Marroni (PT)

Depois de ter sido prefeito de Pelotas, onde nasceu, e deputado federal, Fernando Stefhan Marroni, 62 anos (31/07/1956), conquistou, pela primeira vez, uma cadeira na AL. O petista fez 30.704 votos. Seus principais colégios eleitorais foram Pelotas (19.987 votos) e Taquari (1.893 votos). Marroni elegeu-se a partir de uma plataforma que agrega demandas regionais, como a recuperação dos investimentos e empregos no Polo Naval de Rio Grande, e bandeiras gerais, como a manutenção de empresas públicas, valorização dos salários dos servidores, retomada das obras de infraestrutura e a reabertura de canais de participação popular para a definição dos orçamentos públicos. Engenheiro eletricista e servidor da Universidade Federal de Pelotas, iniciou sua trajetória política na Associação de Funcionários da universidade, entidade que comandou entre 1987 a 1991. Em 1989, presidiu a Federação dos Trabalhadores das Universidades Brasileiras. Em 1998, foi eleito deputado federal pelo PT e, entre 2001 e 2004, foi prefeito de Pelotas, Nas eleições de 2006, ficou na primeira suplência do PT na Câmara Federal. No início de 2009, retornou ao Congresso Nacional. Na eleição de 2014 foi, novamente, eleito deputado federal. No entanto, por decisão do TSE de 2015, que alterou o quociente eleitoral, passou a ser o primeiro suplente de seu partido. Marroni considera que o principal desafio do próximo período é a construção de um projeto de desenvolvimento nacional. "Não há como superar a crise sem um projeto nacional de desenvolvimento, que promova a geração de emprego e a distribuição de renda. E isso só acontecerá a partir da indução do Estado", acredita. O incentivo à agricultura familiar e o estímulo à instalação de parques eólicos, especialmente na Metade Sul do Estado, também estão entre as prioridades de seu mandato. É casado com a atual deputada estadual Miriam Marroni, que não concorreu à reeleição.
05/12/2018 (00:00)
Visitas no site:  122996
© 2018 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia